Riscos de explosão, uma forte explosão no bairro de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, destruiu imóveis comerciais e residenciais na madrugada desta segunda-feira (19). Ao menos 8 feridos foram retirados dos escombros. Ao todo, 40 imóveis foram afetados, segundo o subsecretário municipal de Defesa Civil, Márcio Motta. Entre eles estão dois restaurantes e uma farmácia, que seriam o foco da explosão. Bombeiros suspeitam de vazamento de gás. Ainda segundo a Defesa Civil do Rio, 14 imóveis foram totalmente destruídos após a explosão. Dos 8 feridos retirados dos escombros, um foi atendido no local e liberado. Sete pessoas foram levadas ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. Duas das vítimas chegaram desacordadas. Entre os feridos está uma criança de 9 anos. Às 9h10, quatro vítimas tinham sido liberadas do Souza Aguiar.

Segundo os bombeiros, as vítimas encaminhadas para o Hospital Souza Aguiar são Ana Q. Araújo, de 38 anos; Manoel L. Araújo, de 84 anos; Mauro L. Araújo, de 44 anos; Jair C. Silva, de 27 anos; Maria Márcia, de 28 anos, uma menina de 9 anos e Valdecir Galdino da Silva. Outra vítima, identificada como Carlos R. Tomás, de 22 anos, foi atendida e liberada no local.  O número de atendidos, entretanto, pode aumentar: até por volta das 8h, bombeiros conseguiam ouvir gritos de pedidos de socorro entre os escombros.

Menina seminua é levada no colo por socorrista após ser retirada do meio de escombros deixados pela explosão de um restaurante em São Cristóvão, no Rio (Foto: Thiago Lontra/Agência O Globo)
Menina seminua é levada no colo por socorrista após ser retirada do meio de escombros deixados pela explosão de um restaurante em São Cristóvão, no Rio

Riscos de explosão (detector de gases)

A causa da explosão ainda não está clara. Bombeiros suspeitam de vazamento de gás. Há fumaça na região. A explosão aconteceu por volta das 3h e foi tão forte que pode ser ouvida na região do Sumaré, a 6 km de distância do local.

A Prefeitura do Rio de Janeiro investiga se o acidente foi causado por um botijão de gás irregular em local fechado. Ainda de acordo com a prefeitura, os imóveis afetados não eram ligados à rede de gás encanado. Por precaução, o gás da região foi desligado, segundo a Companhia Estadual de Gás (CEG).

A explosão fez com que centenas de moradores deixassem seus imóveis, com medo de novas explosões e desabamentos. A força do deslocamento de ar chegou a quebrar vidros de muitos imóveis vizinhos.

A maior parte dos imóveis atingidos fica na Rua São Luiz Gonzaga, onde há pedaços de concreto, entulho e muito vidro espalhados.

 

Riscos de explosão – Sem prevenção sobram feridos (detector de gases)

Uma menina ferida na explosão disse que foi salva por um armário que caiu numa posição em que ela ficou protegida. Ela ainda afirmou que não viu o momento da explosão e só se deu conta depois do que tinha acontecido quando foi retirada do local.

A mãe e o pai da criança, que também estão no hospital, estão abalados. Segundo o pai da menina, a casa da família ficou totalmente destruída. Eles moram na casa número 1 de uma vila que fica atrás do restaurante, da pizzaria e da farmácia destruídos.

Imagens mostram o local da explosão em São Cristóvão antes e depois da explosão (Foto: Reprodução/GoogleStreetView e GloboNews)
Imagens mostram o local da explosão em São Cristóvão antes e depois da explosão

Riscos de explosão – Resgate (detector de gases)

Sete quarteis do Corpo de Bombeiro foram acionados para ajudar na ação e três cães farejadores ajudam no resgate a outras vítimas. Os bombeiros usam retroescavadeiras e serras elétricas na busca a possíveis vítimas soterradas.

Segundo outro morador da vila que fica no fundo dos imóveis destruídos, o susto na hora foi muito grande e as pessoas ficaram apavoradas. Segundo ele, muita gente pedia socorro.

“Foi um momento de terror, muita tensão, muita gente pedindo socorro, muita gente gritando, muita fumaça. A coisa realmente foi muita feia. Começou a cair tudo. A sorte é que a nossa [casa] não começou a cair de hora, mas a tensão primeiro foi sair lá de dentro. Foi tipo terremoto, tipo terremoto. A filha do João pedindo socorro, pois a parede do quarto caiu em cima dele e da esposa. Pessoal foi tirado a unha mesmo”, afirmou Ironildo Soares de Araújo, que diz ter perdido quase tudo, mas afirmou estar aliviado por ter sobrevivido. Embalagens de pizza foram parar no teto de imóveis

Riscos de explosão – Deslocamento de ar (detector de gases)

A maioria dos imóveis vizinhos foi atingida em função do forte deslocamento de ar. Portas foram arrancadas, janelas quebradas e destroços arremessados a uma grande distância. Apartamentos em edifícios que ficam a cerca de 400 metros de distância dos imóveis que explodiram, ficaram com as janelas quebradas. Segundo testemunhas na região, o cheiro de gás era muito forte.

Bombeiros procuram por vítimas soterradas (Foto: Reprodução / TV Globo)

Bombeiros procuram por vítimas soterradas

 

Riscos de explosão – Como evitar e prevenir que estes tipos de acidente ocorra (detector de gases)

A Utilização de detectores de gases para monitorar o risco atmosféricos de vazamento de gases combustíveis em: cozinhas, restaurantes, bares e outros ambientes, nos quais utilizasse o gás natural, seja ele em: botijão ou em gás encanado, deve ser controlado o risco de um acidente com um possível vazamento do gás.

A PerCon, vem oferecendo ao mercado não só um detector de gás e sim uma solução para tal problema, que vem se tornando cada vez mais frequente e perigoso.

Abaixo, consta maiores informações de nosso detectores de gases, sempre se adequando ao máximo as necessidades de nosso clientes, seja com: locação, venda, instalação, manutenção e calibração.

Conte com o suporte de quem entende e trabalha as mais de 10 anos com este tipo de solução, nas mais variadas aplicações, como: off shore, on shrore, petroquímica, espaço confinado, farmácias, setor educacional,  entre ouras áreas de atuação.


 

Riscos de explosão – Limites de inflamabilidade dos gases (detector de gases)

(Fonte:CETESB – Emergências Químicas)

    Para um gás ou vapor inflamável queimar é necessário que exista, além da fonte de ignição, uma mistura chamada “ideal” entre o ar atmosférico (oxigênio) e o gás combustível. A quantidade de oxigênio no ar é praticamente constante, em torno de 21 % em volume. Já a quantidade de gás combustível necessário para a queima, varia para cada produto e está dimensionada através de duas constantes: o Limite Inferior de Inflamabilidade (ou explosividade) (LII) ou (LEL) e o Limite Superior de Inflamabilidade (LSI) ou (MEL).

 O LII(LEL) é a mínima concentração de gás que, misturada ao ar atmosférico, não é capaz de provocar a combustão do produto, a partir do contato com uma fonte de ignição. Concentrações de gás abaixo do LII não são combustíveis pois, nesta condição, tem-se excesso de oxigênio e pequena quantidade do produto para a queima. Esta condição é chamada de “mistura pobre”.

O LSI(MEL) é a máxima concentração de gás que misturada ao ar atmosférico é capaz de provocar a combustão do produto, a partir de uma fonte de ignição. Concentrações de gás acima do LSI não são combustíveis pois, nesta condição, tem-se excesso de produto e pequena quantidade de oxigênio para que a combustão ocorra, é a chamada “mistura rica”.Pode-se então concluir que os gases ou vapores combustíveis só queimam quando sua percentagem em volume estiver entre os limites (inferior e superior) de inflamabilidade, que é a “mistura ideal” para a combustão.

OBRIGATORIEDADE NA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE ALERTA SOBRE VAZAMENTO DE GÁS  

 

Riscos de explosão

Diversos Estados brasileiros estão aprovando leis e normas para implantação de sistema de alerta de vazamentos de gás, com o intuito de prevenir acidentes, principalmente em locais com grande aglomeração de pessoas, como comércios, indústrias, hospitais,residências, etc. Quando o estabelecimento possui um sistema de alerta(como por exemplo um sensor de vazamento de gás), as pessoas poderão sair do local de risco com maior segurança e a emergência poderá ser acionada preventivamente, de forma a minimizar os danos físicos e/ou materiais.

     Segue abaixo alguns exemplos sobre a obrigatoriedade da instalação de sensores de gás:

“Dispõe sobre a obrigatoriedade de implantação de sistema eletrônico de alarme detector de gás nos estabelecimentos que menciona e dá outras providências”.

  • LEI COMPLEMENTAR 140/14 (Rio de Janeiro)
    • “Ficam obrigados a implantar o sistema eletrônico de alarme sonoro e luminoso de detector de gás liquefeito de petróleo e similares, os seguintes estabelecimentos: centros comerciais, restaurantes, bares, lanchonetes, cozinhas industriais, hotéis, centrais de distribuição de gás, entre outros” (Fonte: Lei complementar 140/14).
  • PROJETO DE LEI N° 110/03 (Guarulhos/SP)
    • “Fica obrigada a utilização de aparelho sensor de gás com prevenção para detector vazamento em estabelecimentos e prédios residenciais do Município que utillizam botijões de gás liquefeito de petróleo e/ou gás encanado de nafta ou natural. Incluem-se no gênero estabelecimentos, os comerciais, industriais, hospitalares, entidades, clubes, motéis, repartições públicas e semelhantes”. (Fonte: Projeto de Lei n° 110/03).
  • PROJETO DE LEI N° 435/11 (Paraná)
    • “É obrigatória a utilização de aparelho sensor de gás como prevenção para detectar vazamentos, pelos seguintes estabelecimetnos e prédios residenciais do Estado do Paraná, que utilizam botijões de gás liquefeito de petróleo(GLP): todos estabelecimentos comerciais, industriais, clubes, entidades, hospitais, escolas, hotéis, restaurantes e similares”. (Fonte: Projeto de Lei n° 435/11).
  • LEI 6944/97 (Mato Grosso)
    • “É obrigatória a utilização de aparelho sensor de gás, como prevenção para detectar vazamentos, pelos seguintes estabelecimentos e prédios residenciais do Estado de Mato Grosso, que utilizem botijões de gás liqüefeito de petróleo (GLP), e gás encanado de nafta, ou natural:todos os estabelecimentos comerciais, industriais, clubes, entidades, hospitais, escolas, motéis, restaurantes e similares; todos os prédios residenciais com mais de três andares, devendo cada apartamento ser equipado com sensores.” (Fonte: Lei n° 6944/97).
  • LEI 17417/08 (Recife)
    • “É obrigatória a utilização de aparelho sensor de gás, como prevenção para detectar vazamentos pelos estabelecimentos comerciais, industriais, clubes sociais, entidades, hospitais, escolas, hotéis, motéis, restaurantes e similares e casas e prédios residenciais do município do Recife, que utilizem botijões de gás liquefeito de petróleo – GLP.” (Fonte: Lei n° 17417/08).

**Obs.: As leis/normas citadas acima, são apenas alguns exemplos dentre outras normas nacionais vigentes. As mesmas foram mencionadas apenas para fins de conhecimento!
Fontes de pesquisa: NBR 15514_07 / NBR 15526_07 / NBR 1478_09 / NBR 13103_13 / Lei complementar 140_14/ Lei 6944_97 / Projeto de Lei 110_03/ Projeto de Lei 435_11/ Lei 17417_08.


 

 

 

mussum detector cozinha gases

 

Clique para assuntos relacionados

Detector portátil de quatro ou cinco gases Ventis™ Pro Series

Monitor de área para espaços confinado

Teste de verificação ou bump test

Noções básicas sobre detectores de gases

Tipos de sensores de detectores de gases

Espaço confinado

Calibração de detectores de gases

Industrial Scientific

Aluguel de detectores de gases

Segurança e saúde em espaço confinado

Detector de gases

Monóxido de carbono CO

Detectores para compostos voláteis

Sensores de gás – princípios e tecnologias

Riscos atmosféricos

Calibração no cliente

Riscos com amônia NH3

Monitoramento de vazamento

Diferença entre calibração e teste de verificação

Metrologia

Precisão e exatidão em detectores de gases

 

Riscos de explosão (detector de gases) é na PerCon

Riscos de explosão e prevenção podem ser encontrados na PerCon Tecnologia sediada  na Rua Hermengarda 60 – Sala 605 -Torre do Meier – Meier Rio de Janeiro – RJ (percon@acessopercon.com.br) / Fone : 21-2596-8369

Clique para obter informação adicional

Riscos de explosão