NR36 , em 19 de abril de 2013 foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria nº 555, de 18 de abril de 2013, aprovando a Norma Regulamentadora nº 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados.

Conhecida como NR dos frigoríficos, a norma busca a prevenção e a redução de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, com adequação e organização de postos de trabalho, adoção de pausas, gerenciamento de riscos, disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados, rodízios de atividades, entre outras.

NR36 

A NR36 foi assinada pelo ministro do Trabalho e Emprego Manoel Dias e tem prazo de até seis meses para que as mudanças entrem em vigor, com exceção de alguns itens que demandam mais tempo, como intervenções estruturais (12 meses) e alterações nas instalações das empresas (24 meses).
Frigorifico
Portaria 555 – Norma Regulamentadora nº 36

Características da Amônia ( NR36 )

Na CNTP (Condição Normal de Temperatura e Pressão) se apresenta como um gás incolor, mais leve que o ar (apenas 9 gases na atmosfera são mais leves que o ar, sendo a Amônia o quinto na lista) e possui um odor muito forte, que é facilmente perceptível, mesmo em concentrações muito pequenas no ar (desde
5 ppm).
Amônia é um gás produzido naturalmente no processo biológico e é parte importante do ciclo do nitrogênio na terra. O volume de Amônia produzido pelo homem é equivalente a apenas 3% da quantidade total presente na natureza e o volume utilizado para sistemas de refrigeração é de cerca 0.5% do total produzido pelo homem. Além disso, a Amônia é altamente solúvel em água formando uma solução conhecida como Hidróxido de Amônio, ou no Brasil, amoníaco, (NH4OH), normalmente utilizado em limpeza doméstica.
Comercialmente a Amônia é produzida a partir da combinação de nitrogênio livre com hidrogênio a alta pressão e alta temperatura, na presença de um catalisador. O processo mais utilizado é o que utiliza o método Haber-Bosch, desenvolvido em 1913. A Amônia anidra requerida para os sistemas de refrigeração deve possuir um grau de pureza de 99.95%, com um concentração de água de 33 ppm máx.

Toxidade da Amônia ( NR36 )

A Amônia, seja na fase gasosa ou líquida é um produto extremamente irritante. O odor agressivo provocado pela Amônia é uma característica significativa. Devido à grande facilidade em se dissolver na água, a Amônia acaba se impregnando na pele, na mucosa das narinas, na garganta e nos olhos. Isto provoca uma irritação muito forte e
por reflexo condicionado os olhos se fecham e fica difícil a respiração. Em concentrações mais altas ocorre um efeito corrosivo na mucosa das narinas provocando além da dificuldade da respiração, dor no peito, tosse e dispnéia. Em concentrações muito altas, pode provocar parada respiratória e, mesmo depois de horas da exposição, pode ocorrer endema pulmonar. Mas se logo após os sintomas desaparecem (tosse, dor no peito) isto indica que não há maiores riscos. A NR-15 [4], estabelece que o valor Limite de Tolerância de exposição de um
trabalhador a um ambiente contaminado com Amônia, durante uma jornada de trabalho semanal de 48 horas, é de apenas 20 ppm em volume no ar. Os valores limites na maioria dos outros países está entre 25-35 ppm (40 horas) e um limite máximo de exposição 35-50 ppm por 15 minutos durante a jornada de trabalho. O valor estabelecido como limite de risco de vida imediato, de qualquer pessoa exposta a um ambiente com Amônia por
mais de 30 minutos, é de 500 ppm. Amônia líquida ou o gás a baixa temperatura podem causar fortes queimaduras na pele caso não haja nenhuma proteção. Também a solução agua Amônia pode provocar queimaduras devido ao pH alto da solução. Portanto, após uma purga de Amônia em um tanque com água, deve-se tomar muito cuidado com o esvaziamento do mesmo. Normalmente seu odor característico e desagradável propicia amplo aviso antes
que qualquer condição perigosa exista. Pode ser detectada pelo olfato humano já a partir de 10 ppm, mas os operadores de plantas acabam se acostumando com concentrações de até 100 ppm sem efeitos desagradáveis .

Solução fixa (NR36)

Zareba  Sensepoint são detectores de gases inflamáveis, tóxicos e oxigênio certificados pela ATEX que oferecem uma solução de alta qualidade e baixo custo para monitoramento de áreas perigosas. O este detector provou sua compatibilidade por meio de uma ampla faixa de aplicações exigentes, oferecendo alto desempenho e confiabilidade a um custo acessível.

zabera_s[1]

 

Solução portátil (NR36)

Amônia detecção com o Gas Badge Pro – Portátil monogás

Desenvolvido segundo os mais altos padrões de qualidade e confiabilidade da Industrial Scientific, o GasBadge® Pro oferece toda uma vida de proteção contra os perigos dos gases, com mais recursos do que qualquer outro monitor de um gás disponível. Sensores “inteligentes” intercambiáveis permitem que o GasBadge® Pro seja adaptado facilmente para monitorar níveis perigosos de oxigênio ou de qualquer um dos seguintes gases tóxicos: monóxido de carbono, sulfeto de hidrogênio, dióxido de nitrogênio, dióxido de enxofre, cloro, dióxido de cloro, fosfina, amônia, cianeto de hidrogênio e hidrogênio.

  • Detector de um gás com todos os recursos
  • Garantia vitalícia
  • Sensores intercambiáveis
  • Preparado para iNet® e compatível com docking station

GasBadgePro é na PerCon

 

Clique para assuntos relacionados

Monitor de área Radius BZ1

Monitoramento de perímetro ou cerca de monitoramento usando Radius ™ BZ1

Tanque de armazenamento, monitoramento com o monitor de área Radius ™ BZ1

Monitoramento de espaço confinado com monitor de área Radius™ BZ1

Detector portátil de quatro ou cinco gases Ventis™ Pro Series

Monitor de área para espaços confinado

Teste de verificação ou bump test

Noções básicas sobre detectores de gases

Tipos de sensores de detectores de gases

Espaço confinado

Calibração de detectores de gases

Industrial Scientific

Aluguel de detectores de gases

Segurança e saúde em espaço confinado

Detector de gases

Monóxido de carbono CO

Detectores para compostos voláteis

Sensores de gás – princípios e tecnologias

Riscos atmosféricos

Calibração no cliente

Riscos com amônia NH3

Monitoramento de vazamento

Diferença entre calibração e teste de verificação

Metrologia

Precisão e exatidão em detectores de gases

 

Clique aqui e consulte nossa linha de equipamentos.

NR36